Como marcas, publishers e creators podem se beneficiar da tecnologia VR

Como marcas, publishers e creators podem se beneficiar da tecnologia VR

Ariel Shimoni, Diretor de Virtual Reality da StartApp, plataforma internacional de mobile marketing, e um dos instrutores da Escola Brasileira de Games fala ao Techcrunch sobre possibilidades, aplicações e o futuro da tecnologia VR

Na publicidade, quantas vezes temos a chance de explorar algo completamente novo, onde não há regras definidas e a experiência precisa ser imaginada do início ao fim? Contar uma história, vendendo um produto e levando um usuário dentro de um ambiente VR era um território desconhecido, mas ao explorar este novo meio, rapidamente percebemos que existe grandes oportunidades para todos os tipos de anunciantes – claro, se entenderem muito bem como utilizá-las.

Apesar de saber que tipo de experiência se deseja oferecer ao projetar um anúncio VR, frequentemente surgirão desafios. Por exemplo: imagens ou conteúdos inseridos na parte inferior ou superior de um anúncio VR tendem a se deformar, então o recomendado seria manter essas áreas reservadas apenas para o background. Apesar dos desafios, especialmente quando se trata de encontrar os elementos de design apropriados, esse tem sido um processo fascinante desde o primeiro dia.

escola-brasileira-de-games-tecnologia-VR

Naturalmente ainda é muito cedo e pode levar um pouco de tempo para atingir o grande público. Mas, essas primeiras experiências de anúncios VR mostram que a tecnologia pode vir a ser o santo graal para ações de branding, por conta do inigualável engajamento da marca e um novo nível de interatividade.

Vamos mergulhar mais fundo e entender como VR pode ser um grande negócio para as marcas

Em primeiro lugar, a opção de inserir um usuário em uma experiência ou mensagem de marca, era algo simplesmente impossível até pouco tempo atrás. Na TV, online ou em dispositivos móveis, ainda há uma barreira (imaginária) na tela do dispositivo físico entre o anúncio e o usuário.

Com a realidade virtual, temos uma ferramenta que pode se transformar em um canal de vendas incrivelmente poderoso. Como promover novos tênis de basquete? Que tal colocar o usuário na pele do melhor jogador de basquete do mundo durante um jogo na Madison Square Garden. A sensação de verdadeira presença só pode ser reproduzida em VR – e todos os nossos sentidos reagem a ela. Esta capacidade é incrivelmente poderosa para qualquer campanha publicitária.s

Em segundo lugar, a capacidade de rastrear, analisar e entender se e como uma mensagem fez o seu caminho até o usuário, é muito mais aprofundada e detalhada em VR do que em qualquer outro meio. Na TV, podemos ter uma noção geral se um usuário viu o anúncio, na web somos capazes de rastrear cliques e atividade pós-clique, em mobile podemos controlar a atividade de anúncios com base na localização do dispositivo. Mas com VR, seremos capazes de rastrear onde o usuário está realmente olhando dentro do ambiente que construirmos. Em um futuro próximo poderemos analisar e monitorar até mesmo emoções humanas.

Interatividade e engajamento

Por último, a interatividade e o engajamento do usuário dentro do ambiente virtual vai muito além do que está atualmente disponível em outras plataformas. O usuário pode se sentir como parte real de um anúncio e realmente interagir, tocar, jogar e se envolver com um produto em um nível totalmente novo. Embora tenhamos visto um certo nível de interatividade em anúncios on-line e mobile, por melhor que sejam não possuem o elemento crucial que só VR pode oferecer: permitir que o usuário exista dentro do próprio anúncio.

E não são apenas marcas e anunciantes que podem se beneficiar da tecnologia VR. Conteúdo livre, e mais importante, conteúdo de qualidade, serão a força motriz para a adoção do consumidor massa. Aplicativos, jogos e experiências da atualidade que se remuneram exclusivamente de acessos pagos, terão dificuldade para adotar o VR e dissuadir as pessoas de testar e explorar este novo meio. Teremos uma situação ganha-ganha onde as marcas terão acesso ao que se espera que seja o meio de publicidade mais poderoso já criado, e creators e publishers podem começar a construir experiências VR incríveis sem se sobrecarregar com acessos pagos.

A indústria do VR ainda está trabalhando em pontos estratégicos – como buscar os canais de distribuição mais adequados. Mas, em um futuro muito próximo, este ecossistema tem todos os ingredientes que necessita para crescer – e prosperar.

Artigo original

https://techcrunch.com/2016/06/13/why-vr-is-the-next-big-thing-for-brands

Acesse agora mesmo o curso gratuito onde Ariel Shimoni fala sobre Monetização em Games e Aplicativos Mobile.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *