Segundo censo da indústria de brasileira de jogos digitais: resultados da pesquisa e panorama do mercado

Segundo censo da indústria de brasileira de jogos digitais: resultados da pesquisa e panorama do mercado

O Segundo Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais foi elaborado por uma equipe multidisciplinar coordenada pela Homo Ludens, com o objetivo de informar a evolução do setor de games e jogos digitais no Brasil, atualizar dados estatísticos e facilitar o desenho de políticas para o seu desenvolvimento.

Em 2014, o Núcleo de Pesquisa e Gestão Tecnológica da Universidade de São Paulo (NPGT/USP) publicou os resultados do projeto de pesquisa “Levantamento de informações sobre a indústria de games e políticas públicas para o setor”, financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no âmbito do Fundo de Estruturação de Projetos (FEP). Este projeto, também conhecido como FEP Games, foi fundamental para direcionar a discussão e a implementação de políticas públicas no Brasil.

O resultados foram consolidados em três relatórios: ‘Mapeamento da Indústria Brasileira e Global de Jogos Digitais’ (FLEURY, NAKANO e CORDEIRO, 2014), ‘Proposição de Políticas Públicas Direciona-das à Indústria Brasileira de Jogos Digitais’ (FLEURY, NAKANO e SAKUDA, 2014) e ‘I Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais com vocabulário técnico sobre a Indústria Brasileira de Jogos Digitais’ (FLEURY, SAKUDA e CORDEIRO, 2014).

O I Censo descreve os levantamentos anteriores a 2013, e analisa as respostas válidas de 133 empresas de desenvolvimento de jogos digitais. No ano de 2017, o BNDES, em parceria com Ministério da Cultura, Abragames e BIG Festival, realizou a pesquisa intitulada ‘Pano-rama da Indústria Brasileira de Jogos Digitais’, com 151 empresas.

Para o II Censo, considerou-se que a atualização sobre os dados técnicos como ferramentas e metodologias de desenvolvimento não seria tão relevante no momento para a definição de possíveis políticas públicas quanto à coleta de dados sobre outras variáveis mais específicas sobre o relacionamento com o governo e com o ecossistema da indústria. A edição anterior focava apenas em desenvolvedoras de jogos digitais, e para esta pesquisa também foram consideradas as organizações de apoio ao desenvolvimento e serviços em jogos digitais e profissionais autônomos, tanto formalizados como não formalizados. Assim, o objetivo da presente pesquisa foi levantar dados acerca do perfil das desenvolvedoras, das organizações de apoio ao desenvolvimento e serviços em jogos digitais e dos profissionais autônomos de jogos digitais; do perfil dos jogos desenvolvidos, dos recursos humanos (incluindo questões relativas à diversidade da força de trabalho), das formas de financiamento utilizados, da internacionalização, da propriedade intelectual, das relações com o ecossistema, do relacionamento com órgãos governamentais e da percepção da indústria.

O texto sobre o perfil da IBJD organiza-se da seguinte maneira: inicialmente, é apresentado o método da pesquisa (instrumento, plano amostral, fontes de cadastros e canais de divulgação, sigilo das informações, adesão à pesquisa e amostra). A seguir, são apresentados os dados sobre as desenvolvedoras, seguidos dos dados sobre as organizações de apoio ao desenvolvimento e serviços em jogos digitais. Finalizando, são apresentados os dados sobre os profissionais autônomos.

Confira o estudo completo (necessário criar usuário e senha): https://nuvem.cultura.gov.br/index.php/s/mdxtGP2QSYO7VMz#pdfviewer

Nosso objetivo é ensinar, incentivar e aperfeiçoar a capacitação profissional através de metodologia inovadora baseada nas experiências e práticas de gestão reais utilizadas pelas empresas no Brasil e no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *