Free Fire é o jogo mais popular do Brasil com presença na internet e no mundo da música

Free Fire é o jogo mais popular do Brasil com presença na internet e no mundo da música

O Brasil é um dos líderes em audiência no mundo dos games, com mais de 80 milhões de fãs espalhados em todo o país. Apesar do sucesso de alguns jogos consagrados, como League of Legends e Counter-Strike, é o novato Free Fire que caiu no gosto do brasileiro. Segundo pesquisa divulgada no início de 2021, o jogo da Garena tem conseguido se destacar em popularidade e é o mais conhecido entre os fãs brasileiros. A forte presença nas redes sociais e no mundo da música reforçam essa audiência do game.

São os números da Pesquisa Game Brasil (PGB) que colocam o Free Fire como o jogo mais popular do país. O relatório mostra que 70,9% dos jogadores brasileiros conhecem ou já ouviram falar no jogo publicado pela empresa Garena. A franquia Call of Duty aparece logo em seguida, com os jogos Cold War (69,4%) e Warzone (68,8%). Ou seja, os jogos de ação aparecem como os favoritos entre o público nacional.

Entretanto, o principal motivo para o sucesso de Free Fire não é apenas o estilo do jogo, mas também a forte presença na internet de forma dinâmica. O game é um dos mais populares nas redes sociais, e não faltam vídeos e postagens com referência as partidas. Com mais de 140 milhões de brasileiros presentes nas redes sociais, como mostra a pesquisa da Hootsuite, é de se esperar que isso cause um impacto positivo na popularidade do jogo.

Em 2019, como mostra a reportagem especial publicada no blog da Betway, os jogadores de Free Fire se transformaram em tema para uma música do rapper Mano Brown com o MC Jottapê. Ambos marcaram presença na Liga Brasileira de Free Fire, e causaram um impacto positivo na comunidade. O artigo conta que o resultado veio logo depois, com o mundial do game registrando um pico de visualizações acima de 1 milhão de espectadores em simultâneo. Um número significativo e que comprova a popularidade do jogo.

A música e os games

A proximidade da música com o eSports não é algo exclusivo do Free Fire. Na verdade, esses são dois mundos que estão ficando cada vez mais unidos. O trap, por exemplo, é um dos estilos musicais mais populares entre os gamers, principalmente pelos profissionais mais jovens. Afinal, os jogos eletrônicos fazem parte da vida desses músicos e jogadores, o que acaba virando inspiração.

Leia também:  QuakeCon 2021: Agenda de transmissões, brindes e mais

Em entrevista para o site de eSports bets da Betway, o músico Yung Buda afirmou que os games fazem parte do cotidiano de muitos artistas. Isso significa que é impossível deixar de fora das letras das músicas. O rapper conta que os jogos de FPS, como o Counter-Strike, fizeram parte da vida dele e estão entre os mais populares com os rappers, assim como Free Fire e outros jogos do cenário competitivo de eSports. Porém, ele também afirma que títulos menos conhecidos, como Eurogunz, Perfect World e Combat Arms, também servem de inspiração nas músicas voltadas para os games.

Além disso, não faltaram shows com grandes nomes na música envolvendo competições de eSports. O rapper Emicida, o Dj Alok, a banda Far From Alaska e o norte-americano Travis Scott são alguns artistas que tocaram em competições oficiais recentemente. A tendência é que mais nomes da música marquem presença nas competições de eSports, principalmente aqui no Brasil com o Free Fire.

Mais sucesso e mais receita

A boa audiência e popularidade do Free Fire com o público brasileiro é um bom sinal para os jogadores. O Brasil é o terceiro país com mais público voltado para os games, perdendo apenas para os Estados Unidos e para a China, e isso significa um grande potencial de investimento. Atualmente, o país tem um faturamento de R$ 5,6 bilhões com os jogos eletrônicos, mas com potencial para aumentar esse valor nos próximos cinco anos.

O sucesso de Free Fire por aqui é um sinal de que os jogos simples, e voltados para smartphones, podem conseguir bons resultados e chamar a atenção dos brasileiros. A forte presença nas redes sociais, e a proximidade com o mundo da música, são recursos essenciais para o game continuar a crescer. Se olharmos para a organização da Liga Brasileira de Free Fire, e de vários outros eventos, a imagem que se passa é de um futuro promissor neste mercado.

Nosso objetivo é ensinar, incentivar e aperfeiçoar a capacitação profissional através de metodologia inovadora baseada nas experiências e práticas de gestão reais utilizadas pelas empresas no Brasil e no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *