Games podem desenvolver habilidades sociais e colaborativas

Games podem desenvolver habilidades sociais e colaborativas

Jane McGonigal é conhecida por defender o uso da tecnologia digital para canalizar atitudes positivas em colaboração com o mundo real

A Wikipédia levou 100 milhões de horas para estar com seus 19 milhões de artigos. Os gamers brasileiros gastam 64 milhões de horas jogando games por dia. Ou seja, usando esse tempo para fazer uma enciclopédia, o Brasil teria em dois dias uma enciclopédia mais completa que a Wikipédia.

A conta foi feita por Jane McGonigal, diretora de pesquisa e desenvolvimento de games do Institute for the Future, durante o congresso Digital Age, que aconteceu em São Paulo. No entanto, Jane defende que os gamers não perdem tempo quando estão jogando. Para ela, por meio dos games é possível despertar emoções positivas.

ECID

Porque passamos tanto tempo jogando?

Mensalmente nós gastamos horas e horas jogando, energia elétrica, perdemos algumas horas de sono. Jogos nos deixam felizes, nos entusiasmamos mais do que com os entretenimentos da vida real, nos relacionamos melhor com pessoas online do que com as pessoas que convivemos diariamente no mundo real, e nenhum desafio no jogo é insuperável: é necessário esforço, cooperação e empenho para conquistá-los. A imersão nos games permite uma fuga dos problemas pessoais e do mundo.

Jane fala sobre exemplos de emoções positivas fomentadas pelos games (surpresa, orgulho, curiosidade, espanto, criatividade, amor, alegria e alívio). Somadas, essas sensações formariam “indivíduos superpoderosos da esperança”. Entre as habilidades dessas pessoas que jogam games, está a de selecionar corretamente as habilidades das pessoas ao redor, produtividade intensa, um “radar para detectar problemas”, entre outras.

Qual o papel dos jogadores?

Mão-de-obra especializada em salvar o mundo. Nós somos capazes de criar alternativas e soluções super eficientes para resolver problemas que nos limitam e temos mentes especializadas como essas são essenciais no trabalho de resolver os problemas mundiais. Nós somos treinados a lidar com problemas, a adequar nossas limitações e recursos para que continuemos a sobreviver. Sintetizando: Nós somos treinados a salvar o mundo todos os dias, não importam os obstáculos.

(ative a opção de legendas do Youtube)

Jane McGonigal citou o exemplo de programadores dos EUA que, inspirados em games sociais, passaram a colocar no GPS de celulares “missões sociais”. O aplicativo desenvolvido para smartphones aponta pequenas tarefas que pessoas próximas precisam. Depois que foram adicionados elementos típicos dos games, como uma premiação para quem fizesse mais missões, o número de voluntários aumentou cem vezes.

Fontes:

https://www.ted.com/talks

http://www.wowgirl.com.br


Cursos com desconto e sugestões para aprender mais sobre: Produção de Games

Saiba Mais


A Escola Brasileira de Games (EBG) é uma plataforma de ensino, treinamento e aperfeiçoamento de conhecimento nas áreas de gestão empresarial da indústria de jogos, aplicativos mobile e negócios digitais.

Nosso objetivo é ensinar, incentivar e aperfeiçoar a capacitação profissional através de metodologia inovadora baseada nas experiências e práticas de gestão reais utilizadas pelas empresas no Brasil e no mundo.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *